Prosa Sonora
23 setembro
12 outubro
23 outubro
17 novembro

no
Teatro
SESI

20h
Entrada
Gratuita

Questões de raça, gênero e religiosidade estarão presentes em encontro inédito e gratuito entre Liniker e Bongar na Prosa Sonora

Na próxima segunda-feira (23), véspera de feriado em Goiânia, a Prosa Sonora chega ao terceiro dia de apresentações gratuitas no Teatro Sesi. O grupo pernambucano Bongar, que já esteve na primeira edição da série musical e arrancou suspiros e suor no Canto da Primavera 2016, convida ao palco ninguém menos do que Liniker. O show de abertura fica a cargo das meninas-mulheres goianas da banda Cocada Coral, às 20h e o fechamento será por conta do projeto Àttøøxxá, diretamente da Bahia, na área externa do teatro.

A sonoridade dos tambores do terreiro Xambá vai se misturar à voz grave da artista que hoje é um símbolo da diversidade sexual e liberdade de gênero. A ideia do encontro surgiu em uma conversa informal entre o produtor Fernando Santos e Guitinho, vocalista do Bongar. “Tínhamos a ideia inicial de provocar algum encontro, depois surgiu a ideia de escolher alguém que tivesse um discurso mais forte e que fosse ao mesmo tempo, um artista que tivesse um certo antagonismo com o Bongar, alguém inusitado, um encontro que fosse inesperado”, conta Fernando.

Os artistas estão em contato desde que a parceria foi confirmada e chegarão a Goiânia um dia antes do show, para fazer uma espécie de imersão e ensaiar juntos. De acordo com Guitinho, a expectativa é de um show forte em todos os sentidos. “A gente vai trazer a percussão forte do terreiro de Xambá, do povo de terreiro, do povo negro, e a Liniker vai vir com sua voz potente, seu talento incrível e sua representatividade. Vai ser um show para além da música, com resistência e afirmação”.

“A partir do instante em que pisarmos no palco não há distinção entre nós e o público, é uma ação coletiva e chegará o momento em que não haverá divisão e serão todos responsáveis pela grande explosão que vai ser esse show. Liniker é trans e negra, Bongar é formado por jovens negros da periferia que trazem a música dos terreiros de Candomblé. Não há nada melhor do que a arte a música para tocar as pessoas e fazer elas compreenderem que temos o direito de viver da forma que queremos, que isso não agride as pessoas”, afirma Guitinho.

Atrações

Àttøøxxá (BA): Projeto encabeçado por Rafa Dias que começou aplicando o Arrocha às referências globais da Bass Culture. Uma conversão entre os sons ecoados intuitivamente pela periferia do mundo e as frequências graves que estimulam o corpo a mexer-se em ritual. Conecta-se à pura essência da Bahia misturando o pagodão, ritmo da periferia soteropolitana, com sons eletrônicos. https://soundcloud.com/attooxxa

Bongar (PE) convida Liniker (SP): De um lado, o Grupo Bongar, composto por seis integrantes do terreiro Xambá, que busca preservar as tradições e levar aos palcos a Festa do Coco da Xambá, realizada na comunidade há mais de 40 anos. Do outro, Liniker, com seu grave marcante, considerada uma das grandes revelações atuais da música popular brasileira e símbolo da luta por igualdade de gênero. Um encontro inusitado promovido pela Prosa Sonora que promete uma experiência artística muito além do lugar comum. https://soundcloud.com/grupo-bongarhttps://www.facebook.com/linikeroficial/

Cocada Coral (GO): Grupo formado em 2016 por cinco mulheres do Cerrado. Possui uma base percussiva em que o coco é o ritmo predominante. As artistas fazem releituras do cancioneiro popular, homenageando Mestres e Mestras, e apresentam composições autorais que incluem ritmos como maracatu, xote, baião e ciranda. https://www.facebook.com/pg/cocadacoral

DJ Bruno Caveira (GO): Conhecido por movimentar a noite goianiense e colocar todo mundo pra dançar, Bruno Caveira leva por onde passa muita malemolência com um set repleto de carimbó, cumbia e outros ritmos latinos.

A Prosa Sonora

Em 2017, a Prosa Sonora chega à 3ª edição se consolidando no circuito goiano de festivais com programação gratuita focada na diversidade e riqueza da música popular brasileira. A proposta é abrir espaço na agenda de Goiânia para bandas que figuram fora do circuito comercial Brasil afora. Esse ano, a Prosa volta a surpreender na programação com atrações inéditas e gratuitas.

São 14 artistas se dividindo em quatro apresentações no Teatro Sesi entre os dias 23 de setembro e 17 de novembro. Além do dueto entre Bongar e Liniker, a série musical conta com uma boa mistura de ritmos periféricos com a Bahia Bass do Àttøøxxá (BA); o resgate da sonoridade afro-brasileira do Terra Cabula (GO) e o coco das meninas da Cocada Coral (GO). Outro encontro promissor entre Berra Boi (PB), Alessandra Leão e Caçapa (PE), e ainda discotecagem com os DJs Gerson Deveras (DF) e Furmiga Dub (PB).

Serviço:
Prosa Sonora
23 de outubro
20h Cocada Coral (GO)
21h Bongar (PE) + Liniker (SP)
22h30 Àttøøxxá (BA)
23h45 Dj Bruno Caveira (GO)

Local: Teatro Sesi – Av. João Leite, 1013, Santa Genoveva
Entrada gratuita
Mais informações: http://prosasonora.com.br/